terça-feira, 7 de junho de 2011

Apesar de tudo, uma cabana

Daniel Shorey, 2007

Apesar de tudo o que se diz, o Amor, por si, tem de ser suficiente. Porque não conheço força maior do que a que nos vem do estado de graça de amar alguém. E se o Amor não é suficiente para ser infinitamente forte, não será Amor, mas apenas um gostar com dias contados. Porque amar é um acto de fé em cada dia renovado, que tudo quer e tudo é insuficiente. O Amor não se acomoda aos dias nem se quebra porque a vida corre mal. O Amor arruma e desarruma, baralha e torna dar. Quem ama não se contradiz, quem ama procura caminhos onde se perde e se volta a encontrar guiado por esse valer a pena que a alma lhe   reconhece. O Amor tem de ser suficiente porque se não for nada o é. Se o Amor não chega para mudar as montanhas de lugar, é porque ele não existe, foi confundido com uma qualquer paixão a prazo. O Amor  verdadeiro incomoda, dói e faz sofrer, não fica no mesmo sítio, quietinho e disciplinado. O Amor é sangue pulsante, é luta e revolução. O Amor tem de ser suficiente para quem ama, porque a Vida é esse desalinho e uma fé imensa em cada primeiro dia para o resto da nossa vida.

4 comentários:

whitesatin disse...

Concordo contigo, always, quando dizes que o Amor tem que ser suficiente.
O Amor não é um estado de espírito.
O Amor é, e será sempre, o motivo da nossa existência. Constante no movimento eterno do Ser e Estar.

Um abraço :)

owerdose disse...

O foda é que esse amor acaba com a gente , nos faz jogar fora a razao e entregar de bandeja nossas atitudes pro coração. E se faz cada coisa quando esse amor nos toma ! e depois que ele passa e como se um temporal muito forte acabasse e o dia amanhecesse frio e cinza.So depois de um tempo aparece um dia de sol.

Always disse...

Nat,

Acredito que o Amor é o centro de existência humana e que a capacidade de amar um caminho que nos confere sentido e nos completa como seres humanos.

Um abraço!

Always disse...

Owerdose,

O que dizes é verdade. Dói perder o Amor. Tudo fica frio, escuro e, por vezes, a noite instala-se permanentemente quando perdemos a capacidade, ou a coragem, de voltar a amar...