quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Entre Roma e Pavia

Cliff Wright, Xmas ribbon, 2005

Embrulha-me a felicidade em que arrumei o dia como um presente de natal que nos fique para o resto da nossa vida. Nem Roma nem Pavia se fizeram num dia e nós, que somos sempre mais a cada hora que passa, queremos mais do que a História, queremos o sempre e não o passar do tempo, mais do que a memória queremos a eternidade. O sonho constrói-se como um caminho a percorrer onde nos temos como destino e simultaneamente, ponto de partida e forma de lá chegar. Caminhamos juntas porque somos uma no princípio, no meio e sem fim, caminhamos seguras, unas, indivisíveis. Amanhã conquistaremos mais um bocadinho e depois de amanhã o dobro desse bocadinho e todos os bocadinhos juntos fazem o universo inteiro onde Roma e Pavia são um acto de fé confirmado. Hoje o meu Natal aconteceu - ainda não é tudo, mas é muito e nesse muito moramos nós sem tempo nem distância, embrulhadas na certeza de que nos queremos mais do que infinitamente.

4 comentários:

LA disse...

Ler-te activa-me a esperança de que ainda existe o verdadeiro Amor

Mia disse...

Parece que sim, que existe.
Incrível a tua escrita.
Mia

Always disse...

LA,

Acredita que o Amor verdadeiro existe e é sublime. Espero que tenhas a felicidade de encontrá-lo e reconhecê-lo.

Always disse...

Mia,

Existe de facto e quando o percebemos é algo incontornável e absoluto.

Obrigada pelo elogio. :)