sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Pedras

Frank Loehner, Cutting the stone - raw material, 2005

Pedra sobre pedra crescem muros.
Dentro de paredes há um mundo inteiro retraído,
de paisagens retalhadas

pelos muros que se erguem
em florestas de pedra descontroladas.

Debaixo das pedras vivem escorpiões assustados.
Pedra sobre pedra deixamos acontecer
muros mais altos do que altura segura para saltar.
Que nos falte o cimento
e nos sobre a força para os derrubar.

8 comentários:

orquídea disse...

Tenho a impressão que conheço isto de algum lado :)
Bom domingo

White disse...

As vezes, construimos as paredes dos nossos próprios medos e fechamonos nos sitios mais assustadores com a desculpa de que precisamos de nos defender. De nós próprios.

whitesatin disse...

Poderosas palavras, amiga.
I'm still standing...derrubando muros todos os dias.

Bjs

Always disse...

Orquídea,

Acho que todos nós, sem excepção, reconhecemos isto em diversas circunstâncias e momentos da nossa vida. :)

Como o Domingo já passou, desejo-te um bom início de semana.

Always disse...

White,

Concordo contigo - os muros são medos e o mais terrível deles é o medo de nós próprios, porque nos torna prisioneiros e escravos de um 'eu' sem escolha, distorcido. Outras vezes, os muros são a forma segura que encontramos para nos tornarmos invisíveis e não nos magoarmos.

Always disse...

Whitesatin,

Sejas bem aparecida, amiga! :)
'Still standing' é bom... de pé e com força para derrubar...

Um abraço

S-Kelly disse...

É importante termos os nossos próprios muros, de preferência abertos e com uma saída. Pode dar-se o caso de não conseguirmos derrubá-lo e, assim, haver sempre uma escapatória possível. Mas o muro é claustrofóbico e atrofiante.Pensamos que nos defende, mas retrai-nos; O importante é saber construir pontes, porque essas sim, conseguem cruzar os céus e elevar-nos onde nenhum muro jamais conseguirá, por muito grande que seja...
Um abraço

Always disse...

S-Kelly,

Mais importante do que os muros (inevitáveis) são as pontes que soubermos construir e a segurança com que as atravessamos e deixamos atravessar. :)

Um abraço