segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Escrever de luvas

Anabark a partir de Mischa Bronstring, Lockedbibles, 2007

Hoje lembrei-me de ir buscar as polaroids que nunca tirámos à gaveta das coisas impalpáveis e publicá-las aqui ou arquivá-las noutro sítio, de acordo com a sua importância. Assim, a olhar para elas, percebo que são muitos os momentos que ocupam este armário a guardar dentro a memória do que somos e do que erámos quando tudo começou. Hoje, sem mais nem menos, lembrei-me de desarrumar a memória e reviver o tempo desordenado. Foi assim que passei o meu dia, não me apeteceu fazer mais nada. Porque está a chover e está frio, refugiei-me no cheiro reconfortante de um móvel de madeira imaginário cheio de coisas nossas quentes, momentos de agasalho de ontem, hoje e sempre, que nos embrulham até que as massas de ar frio, que lá fora sopram os dias, deixem de o ser.

4 comentários:

L. disse...

ah, como eu gosto desse gosto lusitano das tuas palavras... tão bonito.

Always disse...

L.

Obrigada!... :)

melissa disse...

Olá,Como vai?
Encontrei seu blog por acaso e estou extasiada.Parabéns pelo bom gosto!
Gostaria de publicar no meu blog algo que li aqui e me deixou muito emocionada....podemos almoçar?
Se me permitir, ficarei honrada.
Saudações
melissa

Always disse...

Melissa,

Obrigada pela visita e pela sua atenção :)
Agradeço-lhe a emoção que manifesta relativamente aos meus textos, todos eles sentidos e escritos para uma pessoa em particular, como deve ter reparado.
Quanto a publicar no seu blog - dedicado à estética e prática BDSM - algum conteúdo deste blog, parece-me um pouco deslocado, uma vez que nenhum deles tem como foco central a exploração do corpo no limite que reconheço à BDSM. Quero, contudo, salvaguardar que não há qualquer juízo de valor negativo nesta minha posição, muito pelo contrário {e se procurar no arquivo irá perceber que não tenho qualquer julgamento crítico em relação ao universo BDSM), tendo em conta que me considero uma pessoa de mentalidade aberta e tolerante.
De resto, sinto-me congratulada pelo interesse demonstrado na emoção com que escrevo, esperando que se mantenha e que volte a visitar-me. :)