quarta-feira, 6 de abril de 2011

O que não sei

Wenche Aune, B&W #11, 2011

Se nós soubéssemos toda verdade sobre todas as coisas e todas as respostas certas para todas perguntas difíceis, não seríamos seguramente pessoas. E não sendo pessoas não poderíamos apreciar as coisas que, normalmente, as pessoas sentem, tocam e vivem. Um abraço, por exemplo. A força dos braços que nos abraçam quando desejamos abraçar e ser abraçados. Coisas simples e humanas, imperfeitas e, tantas vezes, inexplicáveis. O que faz duas pessoas apaixonarem-se? Como se explica o Amor entre duas pessoas? Que respostas podemos dar a perguntas que transcendem a própria resposta? Se soubesse responder a todas as incertezas que nos sobram enquanto humanos, não seria livre porque estaria refém de respostas correctas e formatadas. A vida não existe abrigada num terreno seguro de respostas para todas as perguntas. A vida acontece nas perguntas que nos desalinham no que sentimos e não sabemos explicar. A vida é o caminho que fazemos à procura de respostas e de sentidos, porque nada acontece por acaso. 

10 comentários:

Andreia disse...

Talvez a Verdade esteja no que é simples, como o sentir desse abraço e da força que lhe está inerente.
De qualquer forma acaba por saber sempre a pouco: estamos constantemente à procura de um absoluto que acabamos por nunca atingir. É a maravilha, incrivelmente dolorosa, de se ser humano.

-

Parabéns pela sua escrita. É de uma transparência rara.

Always disse...

Muito obrigada, Andreia, pela atenção e pelo seu comentário que, aliás, vem reforçar o meu ponto de vista...

...É na procura que nos realizamos e que nos cumprimos. Pode parecer pouco satisfatório não ter a mão cheia, mas é tão mais enriquecedor e saboroso procurar e encontrar e voltar a procurar e encontrar e por aí adiante... Essa conquista é como a força do abraço que desejamos dos braços de quem amamos. :)

rv disse...

é mesmo!e viver a saber td tb n deve ter grande piada, aliás nunca saberemos td pq a vida é mt mais daquilo q aparentemente está e estará sempre ao nosso alcance,só precisamos de ser humildes p o percebermos e aceitarmos

bjs

Always disse...

R.

Deve ser o cúmulo do aborrecimento saber tudo e ter todas as certezas possíveis e imaginárias... enfadonho e nada divertido.

A humildade é o caminho mais acertado para sermos felizes! :)

Beijos!

Lábios de Caprichos disse...

A verdade é que, pura e simplesmente, nao existem respostas a todas as perguntas. A vida não tem truques de magia, nem de ilusionismo. Se as coisas acontecem por coincidências e acasos? Duvido. (Mais uma pergunta sem resposta) Mas acredito que tudo tem um propósito.

Always disse...

LC,

Mais uma vez, obrigado pelo teu feedback e pela inteligência da troca de ideias. :)
Também me parece que não existem respostas para todas as perguntas, seria demasiado fácil e, muito desencantador também.
De resto, tal como tu, também acredito que tudo tem um propósito. E só preciso um pouco de inteligência para perceber esse sentido, nem sempre óbvio nem sempre comprensível á vista desarmada. E tal passa um pouco pela nossa capacidade de autocrítica e auto-reflexão. :)

whitesatin disse...

Estou plenamente de acordo. Já dizia o outro: "só sei que nada sei". :)

Always disse...

N.,

Eu cada vez sei menos do que julgo que sei, que é muito pouco ou quase nada...

Beijos!

whitesatin disse...

É o princípio da sabedoria, amiga (nunca te menosprezes) ;)

Um abraço

Always disse...

Lol...
A humildade é um princípio de sabedoria, sim. Para além disso, admitir que sabemos pouco é também um princípio de verdade! :)

Um abraço!