quarta-feira, 18 de junho de 2008

Ao acordar

George V'Myer, Rock Forms Series, 2005

Acordei só para te dizer que estava a sonhar sontigo. Acordei para te chegar mais de perto. Acordei porque não durmo muito tempo sem te abraçar. Acordei só para te dizer isto meia a dormir. Volto a fechar os olhos não tarda nada. Só tarda a tua vinda e neste tempo em que te espero desespero no espaço que me sobra nos braços da tua ausência. Durmo o que falta à manhã e vou deslizar pelo dia, suavizando as arestas das horas sem ti. Vem cedo, Meu Amor, porque cedo é sempre tarde para quem te quer sem intervalos.

2 comentários:

may disse...

talvez seja esse a grande peripécia: acordar. as noites se fazem tão mágicas, que esquecemos do sol do dia seguinte: novo, incerto e do início.

Always disse...

May,

Bem-vinda ao 'Copo...' :)

Também é bom acordar e sentir que o sonho é real e depois voltar a adormecer e sonhar mais um bocadinho o dia seguinte.