quinta-feira, 10 de julho de 2008

A caminho de casa

Zenmatt, Mimicry, 2008

Quando, porque estamos longe, o Tempo pára na pressa de voltar a casa, invento horas que passam a correr e coisas que aconteçam mais depressa do que é possível acompanhar. E as horas não passam, pesam-me nos olhos e nos gestos, e teimam em ficar. E assim, lentamente, eu espero e me faço esperar. Aqui e aí são pontos de partida e de chegada onde, suspensas, aguardamos em passo apressado. Por vezes, invento-nos num jardim onde nos encontramos para descansar esta pressa absoluta de não nos chegarmos tarde nas horas. A urgência de nós é o ritmo cardíaco que nos anima e nos atravessa do coração à alma. Quanto tempo tem um segundo longe de ti?... Anos, eternidades.

10 comentários:

Ana disse...

=)
eu estou em algum caminho ...
não sei se é o de casa !!!
mas sinto as horas de igual forma ...

Beijinhos
Ana

Lua disse...

vivi cada sílaba em segundos arrastados. tempo e distância: esses meus velhos inimigos.

Always disse...

Fabuloso o destino de Ana que fui espreitar sem deixar vestígios (os blogs do Sapo não facilitam quem quer comentar...)

Quando sentimos as horas como neste "A caminho de casa" - e aqui casa terá a barangência que lhe quisermos atribuir - é porque o coração sabe por onde vai, de onde veio e o seu destino.

Beijos

Always disse...

Lua,

No fundo, apesar de inimigos, nem o tempo nem a distância nos fazem desistir.

Bjos

wind disse...

Posso estar aalgum tempo sem vir aqui, que o tema felizmente é sempre o mesmo:)
Bjs

Always disse...

Wind,

É bom voltar a encontrar-te por aqui. Continuo no mesmo sítio sim, de pedra e cal! :)

Bjos

whitesatin disse...

Eu, enquanto espero, aprendo a viver um dia de cada vez. Uma hora de cada vez. Um segundo de cada vez. Um momento de cada vez.
E em cada piscar de olhos permaneço estática vendo a eternidade a passar por mim e em mim.

Um abraço x 2

Always disse...

Whitesatin,

Querida amiga, não conheço forma mais eficaz de viver que não seja viver um dia de cada vez e potenciar a intensidade dos momentos bons que acontecem em 24 horas. Não será essa a melhor definição de eternidade? :)

Um abraço duplicado

whitesatin disse...

De facto, assim é... ;)
Deve ser por isso que nunca sei em que dia estou, nem me apercebo dos dias que passam por mim...lol
"(...)e por vezes(...)num segundo se envolam tantos anos." :D

Beijos

Always disse...

E não é o tempo que é relactivo mas sim o nosso entendimento da realidade e do tempo. Quantas vezes passam anos numa espera de meia hora? E quantas vezes vivemos a vida num só dia?...

Um abraço amigo