domingo, 28 de setembro de 2008

Lembra-te...

Barbara Heide, Rust Series, 2007

A nossa casa, sem pedra nem ferro, tem a força das árvores que rompem o chão, debaixo para cima, num abraço a tocar o céu cada vez mais alto e aberto. A nossa casa é feita de um querer segurar e por a salvo todas as pequenas e grandes coisas que embrulhamos no tempo e nas recordações que coleccionamos. E enquanto escrevo, recordo o que, ontem à noite, te embalei ao ouvido: deixa-me abraçar-te com a imponência da vontade que o Amor fortalece e nunca põe em causa. Quero abraçar-te e passar o resto da minha vida a tornar mais alto e mais aberto este abraço permanente e este querer-te sem medida. Ainda que nem sempre me acredites as palavras, a verdade vem de dentro e o que escrevo vem do centro da alma que não sabe mentir nem inventar com talento suficiente o que o coração sente simplesmente. Assim te sinto eu, sempre infinita no ar que me mantém viva. E porque te encontro em toda a parte em mim, sinto que a nossa casa é feita da vida que, ambas, desejamos e acreditamos sem fim.

4 comentários:

Sweet_Words disse...

Este é sem dúvida o melhor blog que já li em qq sítio!

Parabéns! :)

The White Scratcher disse...

Uma alma que não sabe mentir deve ser o que a maioria das pessoas procura mas que nunca encontra. Sorte a tua. Adoro os teus escritos. Enche a alma ler estas palavras que muita gente pensa, mas que muito poucos encontram.

Always disse...

Sweet Words,

Obrigada pela visita ao 'Copo...' e pelo cumprimento generoso que me deixaste ficar. :)

Beijinhos

Always disse...

The White Scratcher,

Obrigada pela visita e agradeço-te também o elogio. Sabes que mais? Só posso desejar que, em vez de encontrarem palavras, as pessoas encontrem o sentimento e já valeu a pena!