domingo, 11 de janeiro de 2009

Mais do que palavras

Barbara Heide, Sous influence ou inspirée, 2006

Está escrito em todos os livros, em todas as línguas, mesmo nos livros que não são livros e em linguagens que não são línguas. Está escrito numa forma universal de comunicação. Está escrito com uma força contra a qual não existem leis nem sequer a ausências delas. Está escrito em todas as cores e em todos os tamanhos. Está escrito de trás para a frente e da frente para sempre. Está escrito simplesmente, na medida exacta do que se sente. Do que sinto. E o que sinto não sei dizê-lo de outra maneira nem ser mais convincente. Sinto-me inteira, sem fim, verdadeira. Não procuro mais do que o que sinto e o que encontro em ti. Não quero mais do que o tamanho infinito do que abraço em ti. Porque não existe mais para além disso. Mas nada no Amor é suficiente e ainda bem. Por isso, não quero mais nada para além de ti e tudo me parece pouco. Sabes porquê? Porque tu és a minha vontade de sonhar o infinito e, não querendo nada, tenho contigo todos os sonhos do mundo para cumprir. Perdoa-me se te parece impossível, mas acredito numa escala de tempo que poucos compreenderão, o que é irrelevante. Basta que tu me acredites da mesma forma em que projecto a nossa eternidade.

8 comentários:

eu disse...

á eternidade está no nosso conceito de tempo!
Nós dominamos a eternidade.

Texto forte

Always disse...

Eu,

A eternidade é o tempo que demoramos a viver, mais o tempo em que levam a esquecer-nos, mais as memórias que permanecem para além disso.

Bjos

underadio disse...

: ) lindo como sempre.
Gosto de pensar que somos "memórias ambulantes" (mesmo q n nos lembrássemos ou não nos lembrassem de nada) e é giro pq ainda ontem li uma frase num livro q era +/- isto: "o tempo estraga-se e baralha-se".
Por isso penso q, de facto, o teu texto, as tuas palavras, as tuas memórias, as de agora e as por vir, tu e a tua projecção na eternidade, são mais fortes q o tempo e mais relevantes q uma série de incompreensões.

Beijos p as 2

whitesatin disse...

Sem o Amor nós não existiríamos e a eternidade é a medida da nossa existência.

Magnífica declaração, as usual :)

Bjs

Always disse...

Underadio,

:) E ainda que 'o tempo se estrague e se baralhe', vivemos de memórias e na memória do mundo à nossa volta - a nossa imortalidade tem a duração da nossa presença emocinal nos outros. Quem amamos nunca morre!

Um abraço para ti.

Always disse...

Whitesatin,

Pegando no que dizes, eu atrevo a dizer que sem o Amor não haveria eternidade. :)

Um abraço

whitesatin disse...

Pois tá claro!
Nem faria muito sentido uma existência sem sentimento. Seriamos máquinas...ou então pedras...
Seriamos o vazio, a falta de...
Ou seja...não seriamos...
E no entanto somos. Muito. Mais.

:)

Always disse...

Whitesatin,

Concordo com o que dizes. O ser humano tem a extraordinária capacidade de sentir e de reflectir sobre o que sente. é nessa autoconsciência emocional que reside a nossa humanidade.
Os sentimentos fazem-nos infinitamente muito.

Um abraço