segunda-feira, 2 de abril de 2007

Bom-dia, meu amor


Linda Alstead, Haircut 100, 2006

E enquanto acordamos em desalinho de saudades e vontade de sermos livremente, olho-te nos olhos para te dizer: 'Sinto a tua falta como a falta de mim mesma', porque tu e eu somos a mesma parte de nós, somos o que não desiste para além do tempo e da distância. E nos olhos que se encontram regressamos à vida que ficou suspensa na ausência da pele. E se pergunto 'Dormiste bem, meu amor?' é porque quero dizer-te 'Acorda agora, já é manhã e as horas são nossas'. E sorrio a olhar-te despertar e aninho-me na vontade dos teus braços. Abraças-me com a intensidade de quem hiberna nas horas ausentes de nós. Embrulho-te em mim com a força de quem dormiu muito tempo no sonho deste abraço. Despertamos uma na outra muitas horas de saudades. Sorris-me um mundo infinito que começa e acaba em nós. Sorrio-te um coração do tamanho do universo onde só cabes tu. Sorrimos no mar sem fim em que nos navegamos e nos sentimos Uma. E quando adormeces novamente, acordo-te durante a noite para te dizer: 'Bom-dia, meu amor, para o resto da minha vida'.

6 comentários:

wind disse...

Sorrio também:)))
beijos

Bamboo disse...

Que texto tão bonito, bolas!
Parabéns:)Bjs

underadio disse...

Hihihi

e "rebibolas"

Parabéns por tudo.

Always disse...

Wind,

Sorri, sim - faz tão bem á alma sorrir! :)

Bjos

Always disse...

Bamboo,

Obrigada! :)
O texto fica muito aquém da beleza do sentimento que ele encerra...

Bjos

Always disse...

Underadio,

Andas parca em palavras... Uma mulher da Rádio com falta de palavras?! Custa-me acreditar. ;)

Abraço