domingo, 22 de abril de 2007

Para além das estrelas

Anabark, Até às estrelinhas (ABR07)

'Amo-te até às estrelinhas!' Mas do outro lado do mundo não há estrelas a brilhar na noite do céu denso e negro. E, mesmo assim, eu não desistia de procurar as estrelas dos teus olhos em tudo à minha volta. E tudo eras tu e a distância não me vencia de te encontrar em cada esquina do pensamento. Estremecia ao recordar-te a voz e logo me assaltava uma vontade imensa de colar no céu as estrelas do mar. Quem sabe, talvez onde estivesses do outro lado do mundo pudesses reparar e saber que tinha sido eu para te dizer 'Amo-te até às estrelinhas'. Mas depois pensei: não te amo até às estrelinhas, amo-te um universo inteiro. As estrelas nascem e morrem e algumas chegam a cair, mas nenhuma dura para sempre. Os universos não têm fim, estão sempre em expansão. O amor em que nos damos é um universo infinito de estrelas que brilham eternamente do céu ao fundo do mar.

9 comentários:

underadio disse...

Aiiiiiiii,(suspiro) menina Always, bem-vinda!

1 universo mas ainda bem que depois vêm o plural...eheheh.

Galáxias de beijinhas

Angell disse...

Always,
Que o vosso amor seja sempre assim. Que o tempo, as adversidades nunca o belisquem. Eternas felicidades... :)

Bjs!

underadio disse...

"vem" sem acento.

: ) coradito

Always disse...

underadio,

Bem-haja pelas boas-vindas. :)
By the way, por onde tens andado tu?

Bjos

Always disse...

Angell,

Obrigada pelos teus votos de felicidade. :)
Quero construir solidamente a eternidade deste amor - porque é raro, único e infinito.

Beijos

Sandrita Star disse...

"As estrelas nascem e morrem e algumas chegam a cair, mas nenhuma dura para sempre"...

S.Star

whitesatin disse...

Mas que belo regresso. Já me ri com essa expressão "até às estrelinhas".
Que viagem foi essa que fizeste? Mais parece que regressaste do espaço exterior...hehe ;D

Grande abraço.

Always disse...

Ó Sandrinha, isso foi o que eu disse! E tu que dizes? LOL

Always disse...

Whitesatin,

Estive muito longe fisicamente, mas sempre de alma e coração no mesmo sítio. Entre Lisboa e Pequim não há distância nenhuma quando o pensamento viaja à velocidade da luz. :)

Um abraço