sexta-feira, 27 de abril de 2007

Dentro e fora do copo

Stephane Bouchard, Splash, 2005


Enquanto dormes fico a olhar este copo que transborda do que julguei perdido. Dentro de um copo vazio passava-se um universo de amor à tua espera, que era infinito como eu te prometi. E hoje, neste copo que componho com o que somos e sempre fomos, guardo o amor sem peso nem medida em que nos redescobrimos. O vazio foi ausência, falta e a tortura das saudades que nunca chegam ao fim. O vazio foi sentir-te na distância dia após dia. O vazio era saber que existes e não poder partilhar essa existência. O vazio era muita coisa e o nada que me sobrava por detrás do vidro. O vazio era uma escada de palavras para te chegar e dizer o que te digo hoje ao ouvido. Dentro do copo vazio estava apenas eu e o sonho de me voltares e te deixares ser comigo. E tu dormias, sonhavas e amanhecias ao meu encontro dentro do copo. Um dia acordámos juntas a vontade de abreviar o vazio e deixar o Amor escrever-se a si mesmo. Hoje, enquanto dormes no abraço em que te guardo a noite inteira, transbordo de palavras de amor a transparência do vidro. E este mar infinito e intemporal de amor que coloco dentro do copo, é o tudo que cabe dentro, o que sobra eu guardo em pensamento que é infinitamente maior neste tanto em que existes em mim. Noite após noite, colecciono a nossa imensidão 'dentro de um copo vazio'.

7 comentários:

gitas disse...

Bela prosa:)))
Quero um livroooooooooooooooooooooooooo!:)))))
Beijos

whitesatin disse...

De facto, este é um copo que nunca esteve vazio :)

Bjs

SK disse...

um copo sem fundo...
não
um copo com fundo mas de uma largueza infinita... :)
bj

Angell disse...

Um copo cheio gota a gota; que agora alberga um oceano de amor!

Que o teu copo esteja sempre cheio! :)

Bjs!

Always disse...

Gitas,

Gosto da tua insistência! É uma forma de me empurrar a mim mesma a fazer alguma coisa por isso. Obrigada! :)

Beijos

Always disse...

Whitesatin,,
Este 'copo' só esteve vazio do que perdi e que me fazia falta como o ar que respiro. Afinal nada estava perdido... O Amor nunca deixou estar lá dentro, transbordou o vidro e trouxe-nos de volta.

Abraço

Always disse...

Angell,

Dentro do 'copo', há um oceano infinito e intemporal de Amor - foi o que descobri quando julgava que, na longa ausência, me esvaziava de vida gota a gota. Mas há uma parte de nós que o Amor cuida e faz acreditar - eu e ela nunca desistimos de amar.

Um beijo para ti!