segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Rugosidades

Esme12, Astracts and nonsense

Por vezes, o Tempo não perdoa e lembra-me que a corrida é rápida e que é preciso evitar o desperdício do que tenho e não voltarei a ter nesta vida. Às vezes esqueço-me das coisas únicas, das coisas que não se repetem, e esqueço-me que não vivo para sempre e que, tendo eu fim, não terei tempo para tudo o que sou, desejo e planeio. Hoje acordei uma parede velha, de cor estalada pelo abuso dos dias que não são nossos e que nos levam muitas horas emprestadas. A parede enferrujada, descascada e suja que me instalei durante o dia foi piscadela de olho do Tempo que eu devia entender como 'Não percas tempo, vive!', mas teimo em ter pena de mim. E derivo pelas horas que não tenho senão para sermos nós, desperdiçando momentos únicos e irrepetíveis. O Tempo tem razão, sei que nenhum segundo se repete e a corrida é curta. E enquanto não me acabo, tenho de viver tudo o que sinto dentro e este tudo que não tem fim és TU. E não posso deixar-me ser essa parede desgastada que nos rouba o tempo que não temos. Quero-nos sempre nas cores dos dias do Paraíso, porque não nos reconheço de outra forma senão nesse infinito colorido de alma - juntas pouco nos falta para a perfeição e esse pouco que não temos dá-nos a graça e perpétua o desafio: eu mais ou tu mais?... Temos a vida inteira para descobrir.

4 comentários:

whitesatin disse...

Que tal, viver um dia de cada vez?E se o viveres devagar, consegues ver o arco-íris dentro de cada gota de água.

"To see a world in a Grain of Sand,
And a Heaven in a Wild Flower,
Hold Infinity in the palm of your hand,
And eternity in an hour."
William Blake

Um abraço

Druiel disse...

Por vezes embriagamo-nos de amor e a urgência de mais e mais é compulsivo!
Não quer dizer que nos tenhamos esquecido do dia a dia, apenas achamos os nossos dias a dias, tão mais bonitos.

Bjs
Druiel

Always disse...

Whitesatin,

Obrigada pela inspiração de William Blake (o poema é lindo) e pelo teu conselho sempre sensato.

Um abraço

Always disse...

Druiel,

No Amor tudo nos parece pouco até mesmo a eternidade...

Bjos