terça-feira, 6 de março de 2012

Degelo

J. Le Montagner, Tear Winter series (2005)

Pendurei o inverno numa corda a ver se aquece e se torna primavera de dentro para fora. E espero que chova, e muito, para que nasça forte a esperança e a vontade de ser calor. Neste pedaço de terra onde me passeio em bicos de pé sinto o chão, que sempre ousou ser fértil, à espera em desassossego. Semeei sonhos e deles não desisti e fé no que ainda não vivi. E espero pela primavera. No coração cuido do jardim feito de memória e da força de um sentir profundo. O lado infinito de mim não tem estações do ano, tem flores que o tempo não seca e o Amor que sempre teve, vivo e sem fundo. No coração o tempo é uma janela por onde se espreita o que sai da terra e o que nos fica para sempre na alma.

2 comentários:

TB disse...

Muito Bom! Parabéns!

Always disse...

Obrigada, TB! :)