domingo, 18 de março de 2012

Pontos de fuga

Steve Gosling, Sea, sand & sunset

A verdade é uma história diferente consoante a voz que a conta ou que tenta encontrá-la. As razões mudam conforme os lados da questão e a história que se conta não será nunca a que aconteceu mas o que cada uma das partes compreendeu sem modéstia e com a arrogância de quem se defende em primeiro lugar. A verdade perde-se nas versões que a relatam e, nessa forma obcecada de querer ser mais forte e ter inteira a razão, perde-se o sonho, a promessa de um Sempre e a confiança no abraço do Amor. Porque a verdade não é absoluta não haverá nunca versões coincidentes, nenhuma das histórias será a verdadeira. As histórias que se contam são formas encontradas de nos segurarmos de pé no nada que nos fica depois do tudo que nos falhou. A verdade anda longe de quem quer ter razão. Mente-se, inventa-se, reescreve-se o fim da história com o azedume do desamor. E porque a vontade de perdão morreu, acreditamos que temos a razão toda para curar a nossa dor. 

2 comentários:

TB disse...

Absolutamente verdade!

Always disse...

Infelizmente!...