terça-feira, 17 de outubro de 2006

Lisboa - Amesterdão - Lisboa

Anabark - Passaporte (OUT06)
Na hora em que faço a mala de partida para Amesterdão, recordo a letra de uma canção antiga, talvez uma das mais bonitas escritas em português...
"(...) Quem parte deixa sempre uma parte,
deixa sempre um pedaço do que construiu
quem fica não esquece o abraço do amor que partiu
Quem fica, fica sempre calado fica sempre sentado
com o peito ao frio..." *
...e, quase sem querer, penso na verdade incontornável destas palavras, muito para além do sentido do 'partir em viagem'. E mesmo partindo em viagem de trabalho com regresso marcado e tudo previsto pelos ponteiros do relógio, não escapo a este pensamento de deixar algo incompleto para trás e a esta saudade inexplicável da origem e, simultaneamente, do destino ao qual ainda nem cheguei. Quando regressar a casa, terei partido outra vez e, como sempre, deixarei uma parte por construir do lado de lá, porque deixamos sempre uma parte de nós no sítio onde estivemos por uma semana que seja.
--------
* "Esta Página Em Branco" - Quarteto Música em Si

5 comentários:

D. disse...

Boa viagem e um beijinho ;)

Senhora Saudades disse...

the ego has landed :)

F.

Always disse...

D.

Obrigada! Regressei sã e salva também.

Um abraço.

----------

F.

Thanks for everything! Amsterdam wouldn't have been the same without you. :)

A.

Sandrita Star disse...

S.Star

Senhora Saudades disse...

huh? i think it's all in my head.

F. still in my own parallel universe