quarta-feira, 11 de outubro de 2006

Nunca me falaste dos teus amigos

Carlos D. - Amigos (JUL06)

Quantos amigos te sobram de tanta gente que conheceste e vais conhecendo? Quantos amigos tens nesse mar de conhecidos que navegas tão superficialmente?
Tens amigos?
Alguém a quem possas confessar a alma ou simplesmente ficar em silêncio sem que o silêncio incomode nem um nem outro?
Tens um amigo a quem contar um segredo ou mostrar-te frágil num dia em que sintas tudo ao contrário dentro dentro de ti?
Tens alguém perto se precisares, por um instante, de fugir de tudo para estares contigo mesma?
Tens um ombro em que possas descansar dos fantasmas que te assombram e ouvir, enquanto descansas, um ou dois conselhos para aliviar o incómodo?
A quem contarias aquilo que, a pouco e pouco, te enlouquece por não poderes contar a ninguém - aquela história que silencias todos os dias e que te vai sufocando, aquele outro lado de ti que queres esquecer mas que não desaparece? A quem te mostrarias com honestidade, sem reservas e sem receio de ser julgada? Tens um amigo a quem te possas segurar com toda a verdade sobre a mesa, despida de máscaras?
Pergunto porque acho que não - não tens amigos. Ninguém te guardou como AMIGA, não sabes guardar AMIGOS. Sabes porquê? Porque te conheces mal e não gostas de ti mesma, logo não podes dar aquilo que não tens para ti. Instinto de protecção e sobrevivência são os teus únicos amigos porque a insegurança não te deixa aproximar outra coisa.
Gostava tanto que te conhecesses melhor e respeitasses mais aquilo que és. Tens tanto para dar e ninguém para receber-te completamente. Falta-te um amigo que te faça crescer para fora de ti. Serás tão bonita quando fores crescida...

10 comentários:

D. disse...

Existem certas pessoas que nunca crescem, fogem dos seus verdadeiros sentimentos, da sua alma, do seu destino...

Um beijinho ;)

D. disse...

Obrigada pelo conselho e pelo carinho.

Beijo grande!!!

Always disse...

d
O mais dramático é quando depositas grandes esperanças numa pessoa que não sabe crescer para fora dela mesma e, depois, descobrimos que nos enganámos em acreditar ser possível. O erro é sempre difícil de admitir - é uma luta interna, começa e acaba em nós!

O conselho que te dei é o que daria a mim mesma! Espero que te seja útil! :)

Beijos!

Senhora Saudades disse...

is your hand in this photo? may i take a guess which one it is? if yes then i say it's 12 o'clock, the one with the ring. [not the 1 o'clock with the ring]
----------------------
i don't have such friends, simply because i don't want anyone 'in' so close.

beijinhos,
F

Always disse...

:)

Wow, you got me - yes, 12 o'clock with the ring, that's me!

What good eye you have!! :)

Senhora Saudades disse...

good guess! *whistle* :)

F.

Sandrita Star disse...

E eu tenho-te a ti.

S.Star

Always disse...

O privilégio é meu, minha querida Star. :)

Um beijo!

CM disse...

Descobri, este blog por acaso... e quero dizer que o pouco que li até aqui, me agradou.
Vou continuar a minha decoberta "dentro deste copo vazio"...
Bem haja

Always disse...

CM,

Seja bem-vinda! Agradeço-lhe a presença neste espaço e espero manter-lhe o interesse da descoberta à medida que vai lendo o que por aqui se passa.

Um abraço.