segunda-feira, 23 de outubro de 2006

Voltar a casa



Anabark - Amsterdam (OUT06)
E se a vida fosse um hotel de cinco estrelas, onde nos instalassem como convidados especiais com acessos privilegiados e tratamento de excepção e se tudo isso acontecesse por merecermos essa condição de existência?...
Voltei de Amesterdão, onde estive com a Europa inteira num hotel de cinco estrelas, com estatuto privilegiado e tratamento VIP, não por merecer mas porque tenho a sorte de ter um emprego especial que a maioria dos mortais só conhece de ver em filmes.
Foram dias diferentes, num universo paralelo que só é paralelo porque, no fim, voltamos a casa e, para o ano, quando regressarmos, será uma outra cidade, numa Europa diferente e apenas a certeza de reencontrar rostos conhecidos, que se vão tornando amigos cúmplices por partilharmos o mesmo mundo observado em diferentes latitudes.
Para o ano, Estocolmo terá tanto ou mais encanto do que Amesterdão, e os colegas de línguas diferentes estarão cada vez mais próximos de um estar comum, sem fronteiras, onde as diferenças fazem parte do charme desta Europa que é grande e generosa no coração de pessoas que a partilham e se esforçam por torná-la forte e segura para todos.

2 comentários:

Sandrita Star disse...

Foi por ti e para ti que quis escrever hoje, ao fim de duas semanas de abre-computador-arrependimento-fecha-computador-hoje-não-dá.
Afinal, a carta levou por outro caminho, a bater noutra porta, a entrar noutro mundo.
Mas, como és para mim, digo-te o que não escrevi hoje: que te admiro e te gosto, estejas tu em Amesterdão ou em Estocolmo, estejas tu a lutar por um mundo seguro ou a segurar o teu sorriso lindo!

S. Star

Always disse...

Querida Star,

Regressar a casa é, também, o prazer infinito de voltar a ti e ao aconchego do teu olhar meigo do qual, longe ou perto, sinto sempre saudades.

A.