sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Especial...o Amor

Tomasz Dziubinski, The Black Art - Warsaw, Poland 2, 2010

O que nos é especial não tem fim e nada se lhe compara porque o que é especial torna-se a medida de todas as coisas. O que nos toca tão profundamente a alma não se esvai, fica-nos para sempre debaixo da pele e não se pode despir o que nos corre como sangue e essência do que somos. Vivemos muitas coisas de muitas maneiras e em diferentes dimensões, mas poucas são aquelas que nos moldam o sentir na dimensão do inexplicável e essas poucas não se repetem porque são únicas, e sendo únicas tudo o resto nos parece pobre por comparação. Podemos acreditar que o Amor acontece muitas vezes, mas o Amor verdadeiro é coisa rara e, às vezes, não chega uma vida para acontecer. A intensidade única de quem o experimentou é a medida  do que vem depois e do que existiu antes dele, numa escala injusta mas incontornável. Porque tudo se resume ao Amor e a essa nobre capacidade de sentir o outro como vida em nós. Nada é mais especial do que o absoluto da entrega que o Amor pressupõe desinteressadamente. Podemos acreditar em muitas coisas mas nada mais existe para além do Amor.

2 comentários:

Mia disse...

Partilho em absoluto a sua visão do verdadeiro Amor e a especialidade de quem tem o privilégio de o sentir... e uma vez sentindo-o, será eterno, porque nenhum outro será o verdadeiro.

Always disse...

Mia,
Obrigado pelo seu testemunho. :)
Congratulo-me por saber que outras pessoas partilham a mesma sensibilidade em relação ao Amor. O Amor só se torna especial quando é verdadeiro e por isso mesmo especial. O que é especial não se repete - é único, irrepetível!

:)