terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

Terr' à Terra


‘I was born when she kissed me. I died when she left me. I lived a few weeks while she loved me.’

Dixon Steele (Humphrey Bogart)
«In a Lonely Place» / Matar ou Não Matar, de Nicholas Ray, 1950, EUA

25 comentários:

wind disse...

Pois, agarrando na frase o problema é esse.
Era para o escrever no post anterior, mas escrevo aqui.
Para ti ela foi o que melhor te aconteceu em termos de relação enquanto durou, por isso não a esqueces e estás enfiada dentro do copo que só não está vazio porque és uma pessoa e não uma coisa.
Mas não morreste, estás viva e a vida continua!
Não achas que já deste tempo demais a quem não merece?
Porque te magoas?
Porque não te dás uma 2ª oportunidade?
E não escrevo mais, senão fazia um "testamento" de uma pessoa "bicho do mato", que é o que sou e que se continuares assim, te podes transformar.
Desculpa a minha franqueza e frieza.
bjs

(' ') disse...

Glup!

Isobel disse...

Há pessoas que têm o dom de nos fazer sentir o que está tão magistralmente descrito nestas palavras (tenho de ver este filme, já agora fiquei curiosa). Nem todas mas algumas têm. E depois as mazelas são nossas e depois é o nosso tempo que vai ter de tratar as feridas deixadas pela guerra interior. Não estou a dizer nada de novo. Não quer dizer que a vida pare e que tudo feche para obras mas um pequeno pedaço fica como que hipotecado. O que é que resgata o que fica hipotecado? Não se pode saber. Pode ser o acaso, pode ser uma pessoa, uma viagem, um gato, um livro, um conjunto de pessoas, o tempo, a falta dele.. um dia, o pedaço voltou, ainda com mazelas, mas voltou. Aos poucos, cola-se ao corpo de que se separou, aos poucos retorna à essência do ser que abandonou por tempo indeterminado.
Tenho mesmo de ver este filme, o Bogart tem qualquer coisa de extraodinário (vi o Casablanca e juro que me casava com ele, eu juro! :D )

(' ') disse...

Pois.
Eu até casava com os dois...até com o Sam...LOLLL.
Entendes, não entendes?

(' ') disse...

Mandalay?!
Eu sei, eu sei perguntas difíceis a esta hora da noite, não...eu vou ali já venho porque estou mesmo a GANIR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Isobel disse...

Com o Sam só se ele fizesse um playback decente no pianinho :P

Always disse...

Wind,

Agradeço-te o cuidado e antes que me dês uma boas palmadas, deixa-me só dizer que esta frase tem uma mensagem subliminar para uma certa pessoa. Porque amanhã é uma data especial e porque há momentos inesperados na nossa vida que nos fazem perder o chão e esquecer o mundo à nossa volta. É um daqueles 'recados' que tenho a mania de escrever, lembras-te?

Bjo

Isobel disse...

E também houve um bibelot que me atraiu, tinha um certo je ne sais quoi..

Always disse...

(' '),

Ia agora mesmo responder-te aos emails, mas já estou estou com os olhos trocados...

Little Drangon?! Pergunta difícil a esta hora, right? Explico-te os Mandalay e tu explicas-me os Little Dragon, quid pro quo...

Este blog tem cada vez mais fans do Bogart! Casar, não casava, porque não sou rapariga casadoira. Fiquei traumatizada, pedi uma pessoa em casamento, ela disse que sim e depois fugiu!...

Sweet dreams! Beijos! :)

Always disse...

Isobel,

Bem, no meio disto tudo, Bogart, bibelots, sam, casamentos e sei lá que mais, já me baralhei e já nem sei o que hei-dizer.

O que é que resgata o que fica hipotecado?

Pois, também não sei responder. Alguma coisa será, acho que depende de cada um e da arte com que soubermos restaurar os fragmentos que sobram do todo.

Bjo

(' ') disse...

Loucura não termina em "ão" mas podia...
Hoje, tb não consigo responder ao teu mail.

Dorme bem.

P.S. Eu não sonho ou, então, não me lembro...

Always disse...

E para tornar a coisa mais surrealista - não, não costumo ouvir o Monsieur Cardoso (como tu lhe chamas) no seu "Grande Sofa" na Ant3na... tenho o amplificador avariado.

Às vezes durmo bem e lembro-me do que sonho.

Always disse...

(' ')

PS - Casavas com os dois?! Com o Bogart e mais quem? Quem é o outro?!

wind disse...

Sim Always lembro-me dos "recados", mas se é para a mesma pessoa, não retiro nem uma vírgula.
Se perderes o chão, voa:)
bjs

Always disse...

Wind,

Sempre mesma pessoa, sim. Contra mim escrevo...

Bjo

whitesatin disse...

"You were never really real to begin with,
I just made you up to hurt myself."
N.I.N

Bjs

SK disse...

tem assim tanta importância no contexto da tua vida e experiência pessoal?
oh miúda, arrebita lá esse ego e auto-estima.
(estás quase a levar um puxão de orelhas).

Jaime disse...

Este é possivelmente o "filme da minha vida", aquele que eu levaria para uma ilha deserta, sem precisar de mais nada, talvez... Ainda me vais conseguindo surpreender a cada visita.

Beijos

porquinho feliz disse...

well then...
Cut your hair
Change your name
Every end is a new beginning
It's over now
But it will never be the same
[JJ Johanson]

"Bjs", F.

hangman looks round as he waits
cord stretches tight then it breaks
someday we will die in your dreams
how i wish we were here with you now
...
[i'm sure you'll see a connection in *this* quote :) ]

Always disse...

Whitesatin,

:)

"tried to save a place from the cuts and the scratches
tried to overcome the complications and the catches
nothing ever grows and the sun doesn't shine all day
tried to save myself but myself keeps slipping away"


N.I.N. «Into the void»

Bjo

Always disse...

SK,

Se não tivesse importância na minha vida nada do que escrevo faria sentido.

Puxão de orelhas dói menos do que murros no estomâgo! ;)

Bjo grande.

PS - A bem ou a mal tenho de sair do buraco...

Always disse...

Jaime,

Temos muito em comum, talvez...
Pelo menos, ainda tenho a capacidade de te surpreender no meio de tantas variações sobre o mesmo tema.

Beijos

Always disse...

Porquinho feliz,

Still thinking about the connection between the quotes...

Saudades e um abraço.

soul disse...

Esta frase é tremendamente cinematográfica. Bela e cheia de significado.

Senti-la chega a tocar no dramático. E o dramático só é belo no cinema.

Na vida real é triste, é desolador.

Mata-nos.

É muito traumatizante ser deixado.Ser preterido e não preferido.Essa dor nunca se esquece.Mas que essa dor que se sentiu, seja apenas uma recordação e não uma vivência de todos os dias.

O amor só é bom quando é harmonioso.

O amor só é bom quando nos liberta.

O resto é obsessão, é submissão, é dependência.

Ama-te a ti mesmo que ames outro alguém, porque se o outro te deixa, ficas sem ninguém, porque não te tens a ti.

O tal copo vazio, não enche nenhuma boca. Abre a janela e deixa entrar outro ar.

P.S.: não te conheço, quem sou eu para dar conselhos.Não são conselhos, são apenas palavras sentidas por mim.
De todo o modo, belo blog! Mais vale sentir demais do que não sentir.A apatia é que é uma doença.

Always disse...

Soul,

Sê bem-vinda por aqui e obrigada pelos teus 'conselhos' que entendo como palavras sentidas por ti, como tu ressalvaste. :)

O meu amor-próprio mantém-se intacto. Acima de tudo respeito-me e, nesse respeito que me devo, respeito o que sinto e só por isso escrevo. Sei que não falhei e não desvalorizo nada do que sou pelo que perdi. Não posso vencer moinhos de vento nem um medo que não é meu.
Sinto com intensidade e só por isso tudo valeu a pena. Do outro lado, está o medo (que é maior do que o amor) e essa batalha não é minha. Cumpro o meu tempo de luto, porque valorizo o muito que perdi. Amor é também entristecer quando um copo se esvazia e recobrir a dor com alguma poesia.