quinta-feira, 8 de março de 2007

Desequilíbrio

Wenche Aune, Winter #7, 2007

Por vezes, quando o caminho se torna difícil, mas temos pressa, arriscamos e caimos. Perdemos tempo e calor e no corpo arrefecido invade-nos a dor. E, por momentos, perdemos a razão que nos fez correr com a pressa do risco. Dói-nos o corpo e, nesse instante de feridas em que chegamos a ter pena de nós próprios, fixamos o momento em que as forças faltaram e nos desiquilibrámos. E ficamos cada vez mais frios e mais doridos, à espera de qualquer coisa que nos salve do chão frio. E, quase por instinto, enquanto esperamos e olhamos em volta, voltamos a nós mesmos e, nesse porto de abrigo interior, reencontramos a razão da nossa pressa em vencer as dificuldades do caminho que nos maltratou. O calor regressa-nos e salva-nos a vontade de chegar. Levantamo-nos e caminhamos. Não desistimos. Seguimos a pé se for preciso, mas seguimos. Caídos no chão morremos longe do destino. Sobrevivemos. Levantamo-nos e caminhamos, passo a passo, devagarinho, ao encontro da vida. Não desistimos. Aos poucos, o sangue aquece com força suficiente para chegar onde nos leva o coração. Se não desistirmos havemos de lá chegar.

12 comentários:

whitesatin disse...

Chiça, esta foto faz-me lembrar a última vez que dei um tralho de bicicleta, LOL!
Por esta ordem de ideias já não tenho nenhum ossinho inteiro no corpo, com tanta cambalhota que já dei na vida (metafóricamente falando, claro).

Mas sabes que mais? Agora, olhando para o passado, lembrando-me de todas as peripécias, até me dá vontade de rir ;D

Tem um bom dia.
Beijos e abraços

Blue disse...

Foi a vontade de te querer fazer rir que me levou a dedicar-te um post hoje minha linda... rir é um bom remédio! :-)

Beijos grandes!

PS. E não te esqueças que não estás sozinha nesse teu caminho difícil!

Maria disse...

"Se não desistirmos havemos de lá chegar."
Grande verdade, nem que por vezes a vontade seja mesmo desistir, parar ou modificar a nossa maneira de agir, mas desistir é a última coisa que devemos fazer, adorei.
Beijitos
Maria

wind disse...

Posso assinar por baixo?:)))
É que já caí tantas vezes e já me levantei que perdi a conta.lololol
beijos

(' ') disse...

Havemos pois!
Até podemos ter de carregar com o raio da bicicleta mas chegamos lá!!!

Beijos tb meio "desequilibrados", de doideira, LOLLLLLL.

A sério, beijos all over like if you were a baby.

Olha, só mais uma coisa, qd eu andar com os joelhos esfolados dás-me miminho?Ahahah.

Gosto muito de ti.

P.S. olha lá, aquilo é como andar de bicicleta, não é?Hihihi...

carpe diem disse...

O grande mistério da vida é mesmo esse...

Always disse...

Whitesatin,

Se te serve de consôlo, na infância eu era campeã de quedas na minha rua... depois aprendi a equilibrar-me, mas ainda caio muitas vezes. :)

Uma boa noite para ti.

Abraço

Always disse...

Blue,

E foi só à noite que eu vi a tua boa-vontade, mas valei a pena depois de um dia difícil. Adorei!:)) Fizeste-me rir à gargalhada. Espero que gostes da minha retruibuição.

Beijos.

Always disse...

Maria,

Sê bem-vinda! :)

Eu não sei desistir quando acho que vale a pena. Só chega ao destino quem tenta chegar, não é verdade?

Bjs

Always disse...

Wind,

O importante é levantarmo-nos do chão e caminhar, mesmo quando o corpo dói. :)

Bjs

Always disse...

(' '),

Deixa a bicicleta, é um peso morto, segue a pé que chegas mais depressa.

Espero que estejas melhor, mas parece que ainda estás febril... :D
As melhoras!

Quanto 'aquilo', enfim, se calhar é mais fácil andar de bicicleta. Esquecer, não se esquece, tudo depende do jeito. :D

Bjs

Always disse...

Carpe diem,

Sê bem-vinda por aqui! :)

Eu diria antes que este é o grande DESAFIO da vida... :)