segunda-feira, 26 de março de 2007

O que não te escrevo

Steward Lloyd-Jones, A sort of self-portrait, 2004

E, ao fim da noite, dou-me conta de que as palavras que conheço são insuficientes para te contar o que sinto tão completamente. Nas histórias que te invento, falho a intensidade do que consigo dizer porque dentro de mim tudo é mais, infinitamente mais, do que sei descrever. Neste amor que é maior todas as manhãs, vou procurando maneiras de te dizer o muito que gosto de ti e tudo é pouco nos arranjos de palavras que vou conseguindo, comparado com o que me transcende no infinito que sou contigo. E neste falhar do que quero dizer-te, vou baralhando e voltando a dar as palavras que falam de amor, na esperança de te inventar algo único, só para ti, em que sejas capaz de me sentir na intensidade do que te abraço. Já te escrevo há uma eternidade e nesta eternidade que sinto contigo cada palavra é um pedaço de mim e do que me és sem fim. Só existo nestes pedaços soltos que te dizem, sem engano, que a minha vida és tu. Colecciona-me como partes do todo que somos nós.

10 comentários:

wind disse...

Caramba que texto mais belo!
Muitos parabéns pelo mesmo e pelo conteúdo!:)
Fazes magia com as palavras!:)
Quando for grande quero escrever assim:)
beijos

Bamboo disse...

Irrepreensivelmente "baralhadas"!
Beijinhos

underadio disse...

Deves compreender pq não ando a conseguir comentar-te...

Beijos

M

Angell disse...

Quem consegue afinal comentar algo assim?

O que uma mente profundamnte enamorada; é capaz de gerar palavras tão arrebatadoras e melodiosas! :)

Bjs!

Always disse...

Wind,

Fico sem saber o que dizer a não ser obrigada pela tua capacidade de ler e entender o que escrevo. :)

Bjos

Always disse...

Bamboo,

Baralho as palavras, mas o que elas contêm é claro e sem ambiguidades: um sentimento profundo e infinito - Amor.

Bjos

Always disse...

M.

Vá lá, claro que consegues - palavras não te faltam! :)

Bjos

Always disse...

Angell,

As palavras são as minhas 'flores', eternamente vivas e verdadeiras. :)

Bjos

underadio disse...

Querida Always,

A mim não me faltam só palavras, falta-me tudo!

: )

Contudo, é sempre bom vir ler-te não para galvanizar, LOLLLL, mas para catalisar o q de belo por aqui vai aparecendo...

Beijinhas

M

Always disse...

M.

Não te desmereças assim. Tens tanta coisa em ti!! Aprende a valorizar esse potencial que tens. Se gostares de ti o mundo à tua volta gostará também.

Confia em ti.

Um abraço