quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Do lado escuro


O que esconde o lado escuro da lua?
De que lado fica o lado escuro da lua? Do lado direito? Esquerdo? Diz-me daí o que vês. Só sei dizer o que vejo daqui. Mas daqui é longe e a luz é pouca. Vejo manchas a alastrar de um lado para o outro, num sentido que me escapa. Observo o movimento e tento interpretá-lo, mas a minha perspectiva é limitada. Não posso sair de onde estou, mas desassossega-me a curiosidade de saber o que se movimenta nesse escuro que a minha vista alcança. Alguma coisa existe às escuras. Alguma coisa espreita de luz apagada. Alguma coisa se passa desse lado. Tu sabes, eu não sei. Sabes mais do que eu que não sei nada. Vês mais do que eu que não vejo nada. Passo horas a olhar para as manchas. Habituei os olhos à escuridão para poder ver melhor, mas ainda assim escapa-me o que mexe desse lado. Que vida acontece no lado escurecido que daqui não se vê, a não ser as manchas que vão mudando de sítio todos os dias, de um lado para o outro, como naquela canção dos Mão Morta que tu não conheces mas que eu sei de cor? Um mundo inteiro por descobrir. Não me digas que não se passa nada...
«...Eu disse: 'Eu não faço nada. Fico horas a olhar para uma mancha na parede' / Tu disseste: 'E nunca sentiste a mancha a alastrar, as suas formas num palpitar quase imperceptivel? / Eu disse: 'Nao. A mancha continua no mesmo sitio, eu continuo a olhar para ela e nao se passa nada' / Tu disseste: 'E no entanto a mancha alastra e toma conta de ti, liberta-te do corpo. Tu é que nao vês' / Eu disse: 'O que é que isso interessa?' / Tu disseste: 'Nada...' »
MÃO MORTA «Tu Disseste» (in Primavera de Destroços, 2001)

12 comentários:

wind disse...

Repetindo-me, escreves com muito sentimento e as tuas prosas são poemas:)
Parabéns por isso:-)
PS: Também me questiono sobre o lado escuro da Lua;)

SK disse...

No caso da lua, eu diria que é mais claro que a matéria, textura, que se encontra no lado da escuridão sejam as mesmas que se encontram no lado iluminado, só que mais frias, muito mais frias, empedernidas, lá, onde os raios de sol e o calor não chegam.
O que se encontra lá tem a vantagem de nos ver melhor. Ficam tapados na cortina da escuridão através da qual nós não conseguimos ver, mas estarão com toda a certeza frios, muito frios… sós. Conseguem apenas enxergar para além da escuridão, porque dentro dela permanecem cegos…
Mas nós, mais vulneráveis, temos o condão de viver com cor, e calor, muito calor, de sabermos e podermos enxergar, olhar olhos nos olhos.
Não vale a pena tentar definir o indefinível, o que se encontra para além do lado iluminado. As imagens que dai possam vir serão possivelmente furto mais da imaginação que de algo palpável. A menos que tenhas visão infravermelha e que eu saiba ainda não inventaram uma para a escuridão da lua ;)
Bj

analogic_de_rebanhos disse...

eu guardo por lá alguns bichos coloridos com cores que gosto: um cavalo-marinho púrpura-esverdeado, algumas alforrecas laranja-avermelhadas, um dragão turquesa, um mocho rosa-tinto, um melro com fogo verde-mar no bico, alguns cavalos brancos-espuma-do-mar...
- assim não debotam, ficam só virados para o outro lado do universo visível com o olho humano.

Anónimo disse...

Miss Always,

Ainda lhe restam dúvidas sobre o lado escuro da Lua?
Ou é pura provocação para que eu, dengue, a convide (outra vez) para jantar?
Mas, aviso-a de que os mistérios são para ser revelados ao sabor de champagne... rosa.

Ser estrelita

Always disse...

Star,

Diz-me, gostas mais de mim a cores ou a preto e branco?...

Um beijo.

Always disse...

Porque gostas de poesia e bons poetas como eu, nunca serás repetitiva nos comentários que me fazes, serão sempre apreciações de quem sabe ler e sentir o texto

Obrigada! :)

Posso perguntar-te o que questionas sobre o lado escuro da lua?

Always disse...

SK,

O teu comentário fala por si... Brilhante!

Também penso como tu. Quem está do lado escuro da lua, nunca vê o sol. Vivem às escondidas, sózinhos. São frios, muito frios, quase mortos. São manchas que se arrastam, não vivem, sobrevivem. Espreitam o que não têm, a coberto da escuridão. Que destino tão triste num prazo de vida tão curto!
A troco de quê se escolhe a escuridão? No escuro não chegam nunca a ver o brilho do olhar de quem, com toda a vulnerabilidade, existe do lado que o sol ilumina e aquece. O calor deste lado vale todos os riscos, porque aqui se vive olhos nos olhos com coragem.

Obrigada! ;)

PS - Ainda que tivesse visão, infravermelha na escuridão da lua só conseguiria ver manchas... é tudo o que lá existe.

Always disse...

analogic,

Os rebanhos de cores que guardas no lado escuro da lua são uma vontade de coração grande. Podemos desenhar côr e criaturas fantásticas na escuridão mas só existem na imaginação de quem está do lado iluminado, porque a côr vem da refracção da luz do sol. Nada sobrevive sem calor.

Pergunto, no teu rebanho tens um porquinho verde? :)

wind disse...

O que me questiono sobre o lado escuro da lua?
Desde a música dos Pink Floyd, até à nossa vida e dos amigos.
Tantas vezes escondemos o nosso lado escuro e escondemos aqui é esquecer mesmo!
A nossa capacidade de sobrevivência é tão grande que os "arquivos" arrumam as coisas sem que demos por isso.
Quando resolvem vir para o lado que se vê da Lua, é um embate terrível e temos 2 opções: ou enfrentamos, ou deixamos outra vez andar...
Acho que respondi:)

Anónimo disse...

Miss Always,

Se te prefiro a preto-e-branco ou a cores? Contou a Sherazade a mesma história?
Prefiro-te mil-e-uma vezes ao vivo!

S.Star

Always disse...

Querida Star,

Perguntei só para ter a certeza que me darias essa resposta... sorrio-te olhos nos olhos. :)

Always disse...

Wind,

Obrigado por teres partilhado as interrogações sobre o lado escuro da vida onde, às vezes, nos escondemos. É verdade que toda a gente tem o seu lado negro.

O que mais incomoda é a escuridão dos que a escolhem por opção, seja por incapacidade de gerir o que são seja por medo do que sentem, aqueles que espreitam a vida, às escondidas, em silêncio, a quererem ver sem serem vistos.