sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

O que diria a alma?

Juan Muñoz, Double Bind (instalação 155m x 35 m, Tate Gallery Modern)
(Foto de David Assante)

E de repente há vozes que falam e dizem coisas que eu sempre soube, mas que esqueci nestes instantes em que fixo o chão. Estão próximas, demasiado próximas para serem ignoradas. E de repente também, oiço a minha voz que vem de longe e que espera a sua vez. Não é a voz do coração, essa grita em desespero e de tanto gritar sem se ouvir, vai perdendo nexo e ganhando ruído. A voz que se ouve é a voz da razão, é pausada, distinta, com frases organizadas num sentido único. De repente há uma sobreposição de sons. Coração e razão falam ao mesmo tempo e eu reparto a minha atenção a tentar decifrar o que dizem. Gosto do timbre do coração e, ao mesmo tempo, deixo-me levar pelo conforto da razão. O coração fala-me da alma e do sonho que carrega dentro. A razão alerta-me, repete avisos infindáveis de um perigo qualquer que ainda não sei bem. A voz do coração embrulha-me na melhor parte de mim, naquilo que tento preservar intacto e vivo. A razão desperta-me, deixa-me séria, cinzenta e fechada numa ideia fixa. Sou duas pessoas ao mesmo tempo, divido-me entre o que sinto intensamente e o que penso desse sentir. O que me pode dizer a alma para desempatar?...

13 comentários:

Anónimo disse...

Só tu saberás... se dás ouvidos ao coração ou à razão... eu infelizmente sou muito mais coração do que razão! Quando escreveste algures num comentário que o que querias não era grande coisa... isso era a razão a falar. É a razão que obriga o coração a deixar de ver algo com olhos de amar... caso tu deixes que ela o faça. Racionalizar é o oposto de amar, pelo menos para mim é assim.

Beijo grande!

wind disse...

Não és duas pessoas ao mesmo tempo. És tu:)
Precisas de encontrar o meio termo:)

SK disse...

Para a velha dicotomia sobre a forma e o conteúdo, não há grande resposta… mas há muitas maneiras de concretizar O sonho. Assim como há muitos meios para alcançar os fins, muitas paisagens, muito climas, etc….
E já agora, a razão e o coração andam sempre lado a lado, mas nós por vezes só conseguimos ver um. Até mesmo nas decisões ou realizações de coração está lá sempre a razão e vice-versa. Parece-me.
Bjs

Always disse...

Blue,

Eu oiço duas vozes. Amo com coração e razão e tenho a certeza daquilo que quero. Racionalizar não é oposto de amar quando temos a certeza de que amamos.

Mas quando o que quero é impossível, a razão não me obriga a deixar de amar, só fala mais alto para eu poder sobreviver para além dos danos.

Always disse...

Wind,

Sou coração e razão. Não rejeito nenhuma parte em mim. O dialógo entre elas é fundamental para um perfeito equilíbrio perefeito.

Always disse...

SK,

Concordo contigo, coração e razão andam lado a lado. Às vezes temos dificuldade em conseguir o diálogo, mas esse é o caminho que devemos procurar. Só assim podemos ter a certeza do que queremos realmente, sentido e sabendo porquê.

ic disse...

Será possível, arranjar-se uma base de apoio, tal e qual como um galheteiro? De um lado colocamos o azeite, digo o coração, e do outro a razão. Depois temos que temperar a vida, se possível, sempre com os dois. Não metas só azeite, também adoro, mas ele precisa sempre do vinagre para o tornar, mais real. Claro, que é apenas uma opinião, ou até mesmo aquilo que tento alcançar na minha vida. Talvez, um dia, eu consiga dar um tempero mais, saudável à minha vida ;)

Always disse...

IC,

O dilema é encontrar o equilíbrio. A vida tem outro sabor se o equilíbrio fôr conseguido. A intensidade do sentir não é menor quando o temperamos com a razão. Falo por mim, não deixei de sentir, ainda que a razão me diga que é em vão.

ic disse...

Eu percebo perfeitamente, o que queres dizer. Tive apenas, a sorte de dentro de todo o meu sentimento, existirem palavras que nunca poderiam ser ditas, talvez por isso, consegui diminui-lo. Quando ele, apita, tenho a sorte, dessas palavras estarem escritas, e relê-las.
A razão leva-nos a deixar sentimentos, que sendo o nosso alimento nos fazem mal. Será isso mau? Eu não acho. Para mim, sentir com todos os problemas inerentes à nossa existência, tem que ser algo construtivo, saudável, "calmo" e tantas outras coisas mais. Ninguém disse que era fácil ;)

whitesatin disse...

A sabedoria vem da experiência;
a experiência vem do conhecimento;
o conhecimento vem da práctica;
a práctica vem da curiosidade;
a curiosidade vem do espanto;
o espanto acontece quando abrimos os olhos.
Onde está aqui a razão?
Onde está aqui o coração?

A palavra-chave é: equilíbrio.
;)

whitesatin disse...

Ena pá! Isto saíu-me bem!
Vou fazer um "post". Hehehe.

Beijos

Always disse...

whitesatin,

Coração e razão estão sempre presentes, lado a lado, no ciclo que descreves, tornado a vida interessante e todos os dias um desafio. A felicidade, se é que isso existe para além do conceito, é o encontro equilibrado do coração e a razão. :)

Always disse...

IC,

"Ninguém disse que era fácil" - tens razão, não é fácil. Se fosse seria demasiado aborrecido e não teria metade de intensidade... no sentir e no pensar. :)