quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Pergunta-me

Anabark, Um coração no céu da cama (MAI06)
Neste silêncio que se ouve tão estrondosamente, pergunto-te 'Que perguntas me farias que me quisesses saber?' É um exercício em vão, eu sei. Tu não respondes nunca. E pensar que me queres saber é presunção da minha parte. As minhas perguntas, como tudo o que te disse desde que não somos, são-te dispensáveis. Incómodas, eu sei. Mesmo assim, pergunto-te 'Que gostarias de saber de mim se quisesses saber alguma coisa?'. Sentir saudades é sentir muitas perguntas a estilhaçar o silêncio. Saudades, digo eu... se as tivesses. Para sentir saudades é preciso liberdade para sentir. Tu não te deixas ser livre em ti mesma e, mesmo que não repares, tudo à tua volta vive espartilhado nessa tua prisão invisível. Mesmo que não te dês conta do que não dás, o mundo à tua volta reflecte essa ausência de ti. Não fui eu que te afastei do que te é essencial. És tu que estás ausente porque te rejeitas livre para te sentir verdadeiramente. O teu medo é antigo, eu fui apenas um pretexto para te justificares. Mesmo assim insisto 'Que resposta me imaginas a uma hipotética pergunta tua?', porque sentir saudades é fazer perguntas sem sentido como todas as que aqui vou deixando cair…

10 comentários:

wind disse...

Percebi que este post tem "recado", mas comento só a parte escrita.
Está uma boa prosa poética:)

SK disse...

Por vezes queremos tanto que chegamos a dar conteúdo ao que queremos que o outro sinta ou faça... que resposta darias?
Bj

Senhora Saudades disse...

since it's sort of a personal message i'm just quoting young miss Bruni...

Que tu m'aimais encore,
C'est quelqu'un qui m'a dit que tu m'aimais encore.
Serais ce possible alors ?

On me dit que le destin se moque bien de nous
Qu'il ne nous donne rien et qu'il nous promet tout
Parait qu'le bonheur est à portée de main,
Alors on tend la main et on se retrouve fou
Pourtant quelqu'un m'a dit
...

cheers darling :) F.

Always disse...

Wind,

Especializei-me em escrever 'recados', ou melhor, escrevo 'post-its'...

Agradeço o teu comentário à forma independentemente do conteúdo. :)

-----------

SK,

Será verdade para algumas pessoas, mas eu não sou assim. Não posso inventar um conteúdo baseando-me no que eu gostaria que fosse. Vou atrás de pistas, evidências, matéria de prova. Acredito em factos e só elaboro a partir do que vejo.

Não posso responder à tua pergunta.

Que pergunta farias tu se alguém te sugerisse o mesmo exercício no contexto que decrevo?...

------------------

Senhora Saudades,

LOL... You know why this glass is empty, don't you? It's all a huge personal message... from me to myself, mostly. A big 'post-it' on my wall, that's just it. LOL

Thanks for Carla Bruni's lyrics. She must know something about what she's talking about...

Beijos

SK disse...

Responderia com mais perguntas, baseadas em hipotéticas evidencias e hipotéticas respostas unilaterais, hipoteticamente do que eu quereria, do que sentiria, do que recearia, etc e tal e por aí fora...
Resumindo: não responderia grande coisa.

Always disse...

Na resposta que me dás, dizes muitas coisas acertadas e, no espírito do texto que escrevi, se quisesses realmente saber alguma coisa formularias a pergunta adequada. :)

Anónimo disse...

Só poderia responder o que já sabes...
Que estou a-p-a-i-x-o-n-a-d-a e é por ti.

S.S.

Always disse...

Star,

Isso é uma resposta e não uma pergunta... :)

Mas pronto, tenho de me render ao teu amor caliente... :) Já sei que do lado escuro da lua não há vida e eu vivo deste lado.

Anónimo disse...

Ó tonta!
Eu perguntei, respondi e fui atrás das caninhas!

Caramba!
Prá próxima, dou-te com os pés, que sou caprichosa e tu gostas.

Vou é esticar-me na chaiselong a beber o meu champagne rosa e a comer bombons de violeta...

SS

Always disse...

LOL... nada de caprichos que eu não gosto mesmo nada disso! Tu sabes o que eu gosto... com ou sem champagne!