terça-feira, 19 de dezembro de 2006

O improvável

Jon Bertelli «Curiosity»


Às vezes, naquelas horas em que não sabemos bem de nós, dou comigo a pensar que pensas em mim como eu penso em ti. E imagino que me queres saber, que me procuras subtilmente sem eu dar por isso, que ouves o que eu digo quando penso que estou a falar sozinha. Eu sei que estas coisas que penso nos dias em que não sei de mim não fazem sentido, mas penso-as na mesma e, no meu navegar no improvável e quase absurdo, pergunto-te quando te encontro na imaginação 'Queres saber o que penso e o que estou a sentir?'. E, mesmo que não respondas, deixas entender que sim. Sorrio ao mesmo tempo que penso mais seriamente 'E para que queres saber sem eu que eu dê por isso?'... Curiosidade? Mórbida, talvez.

10 comentários:

wind disse...

Engraçada esta tua prosa.
Acredito numa certa sensitividade que tenho e telepatia.
O que escreveste não é assim tão disparatado:acredito que quando nos vem uma pessoa à cabeça e a sentimos mesmo é porque também está a pensar em nós.
Já tive algumas provas disso e não são acasos:)
Mais uma divagação:-)

analogic disse...

cigolana, reflecte: espelho

abraços soçarba

whitesatin disse...

Eu chamo-lhe "sintonia". Digamos que será algo parecido com a modulação das ondas electro-magnéticas (nós somos feitos de energia, não é?). E sim, acredito que é possível. Mas só quando as partes estão "sintonizadas". E aí é que reside o mistério e o fascínio.

Gosto da forma que se expressam os sentimentos aqui neste cantinho.
Voltarei...

Cumptos.

Always disse...

Wind,

Faz vai divagar. :)
Não tenho especial intuição. Só sinto isso com uma pessoa em particular, talvez pela complementaridade que nos unia enquanto durámos. E ainda sinto, porque essas coisas não desaparecem nunca. Nada acontece por acaso.

------------------

Analogic cigolanA,

Espelho, sem dúvida. Coisas que não se explicam.

Always disse...

Whitesatin,

Sê bem-vinda e volta sempre que quiseres. Agradeço-te o comentário. Este cantinho é feito de partilha do sentir. :)

Concordo quando falas em 'sintonia'. Também lhe chamo assim. E pode acontecer mesmo à distância, disso tenho absoluta certeza.

whitesatin disse...

Eu também tenho a certeza Always, porque já aconteceu comigo.
Quando se fala em energia, a distância é um conceito muito relativo ;)
E também concordo contigo quando dizes que a "ligação" nunca desaparece. É algo que acontece muito raramente durante o percurso de uma vida.

Always disse...

E de tão raro que é, é triste quando não se reconhece e não se sabe guardar.

whitesatin disse...

Sim, é triste...e sofre-se por isso. Porque consideramos como uma dádiva que não é aproveitada.
E a tristeza (e também o desespero) reside no facto de sabermos que nem toda a gente se apercebe, e de que, mesmo aqueles que se apercebem, nem todos compreenderem...porque, ainda hoje (sec.XXI) as pessoas continuam a fugir do desconhecido, do que não se consegue explicar.
Os sentimentos não se explicam, sentem-se (cada um à sua maneira, mas todos da mesma forma). Este é o mistério...no mundo actual.

Argh, é tão cansativo viver neste mundo...!

Always disse...

Sabes? O mais cansativo de tudo é sentir em vão, o desamparo de um sentir solitário e ignorado. Essa dor sim, é cansativa e corrói a alma.

whitesatin disse...

Sim...concordo...