terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Amando quem não és

Zenmatt, Taking a Train, 2006

Apaixonei-me pela pessoa que me beijou num impulso e me fez fugir o chão, assim de repente, à vista de toda a gente, numa sala de restaurante, com coragem, determinação e a certeza de querer nos lábios e no coração. Apaixonei-me pela pessoa que mediu forças e lutou para me oferecer um anel cheio de significado que se fundiu no meu dedo sob a chama que lhe vi no olhar no momento em que o usei pela primeira vez. Apaixonei-me pela pessoa que me queimava a pele quando os corpos se tocavam, embrulhados num desejo insaciável noite e dia. Apaixonei-me pela pessoa que me desassossegava os dias inteiros, numa contagem decrescente para o próximo abraço. Apaixonei-me pela pessoa que acordava a meio da noite para me dar um beijo através da distância e me escrevia com a alma coisas que se perderam para sempre num acto irrecuperável. Apaixonei-me pela pessoa que quis descobrir o mundo numa perspectiva diferente, sem o medo a corromper-lhe a vontade de ser livre e de caminhar segura ao meu lado. Apaixonei-me pela pessoa grande, imensa e infinita que senti, por instantes, abraçar-me com a força de um amor por inteiro, sem reservas. Apaixonei-me por tudo o que vi em ti e pensei que eras. Acreditei em ti, apesar das dúvidas que te deixei saber antes de comerçarmos a ter importância. Dúvidas que, num abrir e fechar de olhos, se tornaram verdades. Hoje sei que essa pessoa não existe - alguém egoísta e cobarde existe em seu lugar, alguém incapaz de segurar o amor entre as mãos, um amor que nunca exigiu, que aceitou e deu sem condições, que jurou ser sem tempo e sem distância à pessoa que eras. Esse amor não morreu, mas a pessoa por quem me apaixonei já não existe e o que és não posso amar.

11 comentários:

wind disse...

Li-te e vi-me há 13 anos atrás.
Custou a passar, mas passou:)

Anónimo disse...

Ninguém é como parece ser, nem nós próprias... apaixonamo-nos por aquilo que queremos, deixamos por momentos de ver o que não queremos, mas não há nenhum caminho fácil de conjugar nesse difícil verbo que é amar...

Beijos grandes

Always disse...

Wind,

Como diz o ditado "Longe da vista, longe do coração".

----------------------

Blue,

Por algum tempo a pessoa por quem me apaixonei-me existiu. Acreditei nela genuinamente. Como diz o poeta "Erros meus, má fortuna, amor ardente...".

Um beijo.

whitesatin disse...

As pessoas mudam. O Tempo marca o compasso. É um facto da vida.
Os sentimentos é que, muitas vezes não acompanham o ritmo da mudança...por isso é que se sofre de forma quase insustentável...o segredo está em apanhar o ritmo e entrar na dança da mudança. E aí tudo fica mais leve.

Beijos

Always disse...

O segredo está em seguir as estações do ano. :)

Um abraço.

Senhora Saudades disse...

i remember a tattoo on someone's neck i once saw, that reads 'to love is to suffer :)

as for this person, it appears (s)he wasn't whom you thought (s)he was then.

the cynic is back,
F.

Always disse...

True... who wants to suffer? Love is a cruel trick of the heart.

As for the person in question, she doesn't even know herself, so it's hard to know her trully as she is. I did my best, but I can't compete with her own demons.

Being cinic prevents you from trouble - that much I've learned so far.

You're amazing - your learning capacity to read my portuguese texts doesn't stop to surprise me. I know google's translation tool sucks - I've tried it and I'm not even able to understand myself using it.

Thanks dahling... saudades!

Um abraço.

Senhora Saudades disse...

to avoid going into details here in public i will say this one word 'detachment', as in emotional detachment, to avoid trouble.

i'd venture a guess you'd have more chance of happiness with the talented miss Galas than with the person in question! :) [but of course you'd probably say otherwise...]

face it, you can't change people. they will always be who they are. oh, thanks dahlin', i like reading the stuff you write more than you'll ever know! even if i don't respond doesn't mean i have nothing to comment on :) at least here anyway.

muitas saudadessssssss,
F.

and today it's not the wine from Palmela talking! :)

Always disse...

LOL... really I'm laughing my brains out with your comment, F. Miss Galas would make all my dreams come true indeed. We're compatible in everyway... we both love black leather jackets and pretty women! LOL

It's a fact, I can't change people into what I would like them to be. People evolve though, some of them learn and grow up and some don't.

Anyways, this reminds me the story of the frog and the scorpion in which a scorpion and a frog meet on the bank of a stream and the scorpion asks the frog to carry him across on its back. The frog asks, "How do I know you won't sting me?" The scorpion says, "Because if I do, I will die too." The frog is satisfied, and they set out, but in midstream, the scorpion stings the frog. The frog feels the onset of paralysis and starts to sink, knowing they both will drown, but has just enough time to gasp "Why?" Replies the scorpion: "Its my nature..."

Need I say more?

Thanks for all the things you say to me. They're important, you know they are.

Saudades.

Senhora Saudades disse...

yes i know this story. thanks for refreshing my memory. [/me closing my eyes tightly and trying to will myself into a hetero woman...still trying...still trying...nope, that's not me! :) ]

um porquinho feliz,
F.

Always disse...

LOL... Give up, don't force yourself to something you're not! It's not in your nature. :D

Better be a porquinho feliz than a a frustrated one. :)

Beijo.